terça-feira, 9 de dezembro de 2014

12º Capítulo - "Tás-te a passar?"

Olá meus amores, desculpem o tempo que levo a postar, espero que continuem desse lado, e que gostem tanto como eu.

Beijinhos.

(Rúben)

- Amor, tu estás tão cansada,..tens a certeza? - Perguntei enquanto ela me despia a camisola.
- Nem te vou responder a isso! - Atirou-me para cima da cama e começou a despir o vestido que tinha no corpo.
- Anda cá. - Puxei-a para mim fazendo-a cair sobre o meu corpo.

Precisávamos mesmo de um momento só nosso, sentia que era tudo aquilo que necessitávamos para tirar todas as duvidas que pudessem existir. Toda aquela mulher me fascinava, aquele corpo, aqueles olhos, aquele sorriso, conseguiu levar-me a um extremo que nunca ninguém tinha conseguido.

- Amo-te. - Disse-lhe.
- Amo-te mais meu amor.

Abracei-a o mais forte que consegui, e comecei a sentir a respiração dela cada vez mais lenta e pesada. Tinha adormecido nos meus braços, literalmente. Acabei por adormecer também com as festinhas que lhe fui fazendo no cabelo.

(Mónica)

Assim que aterraram, a Fi mandou-me mensagem a dizer que tinham chegado bem. Sorri. Ela merecia tudo aquilo e muito mais.
Estava a preparar-me para dormir quando tocam à campainha.

- Rodrigo?!
- Desculpa incomodar mas eu queria só saber se o Rúben está por aqui.
- Ele não te disse?
- Não disse o quê?
- Ele está em Londres, um fim de semana com a Filipa.
- Sério? é que eu não tenho sitio onde ficar, tinha combinado ficar em casa dele porque vou mudar-me, esqueceu de certeza.

Fiquei com pena, o Rúben é sempre o mesmo distraído, e por muito que o Rodrigo me irritasse, resolvi ajudá-lo.

- Mas podes cá ficar. - Disse tão rápido que nem eu percebi bem o que disse.
- Mas você tem sua vida.
- E tu tens a tua, não precisamos de nos cruzar, ficas cá até o Rúben voltar, eles voltam domingo à noite.
- Posso ficar no quarto dela?
- Claro, não ias dormir no sofá não é?!
- Você era bem mais carinhosa no dia do almoço.. - Comentou entre dentes.
- É já somos dois!
- Só resmunga.
- Eu é que resmungo?! Desde que disse que sou tua fã, mudas-te completamente, pensei que vocês gostassem dessas coisas.
- E gostamos, se mudei tenho razão para isso.
- Pronto, nem quero saber. Eu ia dormir portanto, boa noite, põe-te à vontade, e o que não souberes onde está, procura.

Comecei a andar em direcção ao quarto quando ele me agarrou no braço e me fez virar para ele.

- Espera.

(Filipa)

Acordei a sentir-me dormente, tinha o meu braço por baixo do corpo do Rúben. Tentei tirar sem o acordar. Olhei para a janela, ainda era de noite, eram 5h00, decidi levantar-me e olhar lá para fora. Ele tinha pensado em tudo, tínhamos de certeza a melhor vista de Londres. Tirei uma foto que decidi partilhar nas redes sociais.



"Tenho o melhor namorado do mundo, meu Rú, que mimos tão bons, amo-te"


- Princesa, que estás a fazer? - Perguntou ele abrindo só um olho e com muito esforço. - Volta para aqui.
- Vou já mor, decidi ir só partilhar o lindo momento que me estás a proporcionar.
- A estas horas amor?
- Oh, acordei, estava com o braço debaixo de ti, não és levezinho.
- Que piada, anda cá. - Abraçou-me e encheu-me de beijos.



(Rúben)

Acordei primeiro que a princesa e tratei de nos fazerem chegar o pequeno almoço ao quarto. Peguei no telemóvel e vi que tinha chamadas do Rodrigo e do David. Eu tinha-me esquecido daqueles dois. O telemóvel dela tocou e apressei-me a atender quando vi que era a Mónica.

- 'Tou.
- Ai Rúben, acordas-te muito bem disposto, a minha menina?
- Está a dormir ainda, precisas mesmo de falar com ela?
- Não, aproveito e falo já contigo, devido ao facto de seres uma pessoa extremamente inteligente e adorares os teus amigos, tenho o Rodrigo aqui em casa. - Deu um quase grito.
- Eu lembrei-me disso agora, desculpa! Ele ficou aí? e o David não apareceu?
- Claro que ficou, não o ia deixar na rua. David? mas que David? Mas queres encher-me a casa de homens?!
- Esquece!
- Está esquecido. Divirtam-se.
- Obrigado.
- Beijinhos. - E desligou.

Entretanto sinto uns braços rodearem-me o corpo.

- Bom dia amor. - Disse ela com o maior sorriso do mundo e os maiores olhos de sono.
- Bom dia princesa. - Dei-lhe um beijo.
- Estás bem? Pareces preocupado mor.
- Oh, a Mónica ligou para ti e eu atendi porque estavas a dormir, esqueci-me que o Rodrigo se vai mudar e pediu-me para ficar lá em casa, resultado, foi bater à vossa porta e a Mónica deixou-o lá ficar. E depois é o David que apareceu nos ultimo treino e disse para ir ter a minha casa, e agora estamos aqui e esqueci-me dele também.
- Essas coisas acontecem, principalmente porque nos chateámos, não pensas-te no resto. Já que o Rodrigo está em boas mãos, manda uma mensagem ao David e explica a situação é mais fácil e tira essas trombas, vamos conhecer Londres! - Disse ela saltando da cama para o duche.
- Espera, quero ir contigo.
- Rúben, pára! - Gritava ela enquanto ria e eu a enchia de beijinhos.



- Vá, já chega Rú, temos de nos despachar, quero ver o mais possível sim?
- Pronto, anda lá. - Peguei nela ao colo e fui para o quarto.

Acabámos por nos vestir, como ela estava linda.





- Estás tão linda princesa.
- Com um homem como tu ao meu lado, tem de ser.
- Vamos ao Harrods, pode ser mor?
- A menina manda.
- Isto é tão lindo e tão grande.



(Filipa)

Lojas, a minha perdição, e nada melhor que um longo passeio pelo Harrods para me deixar feliz.

- Estás a gostar? - Perguntou ele.
- Estou a amar, obrigada meu amor, a sério. Aii, olha ali uma daquelas máquinas de tirar várias fotos, anda tirar amor.

(Rúben)

Ela parecia uma criança e nada me fazia mais feliz do que vê-la tão bem. Já merecíamos.

- Faz caretas . - Disse-me ela.




Fizemos as figuras mais parvas, mas ela saiu de lá radiante.

- Ficámos tão lindos príncipe. - Ao longe vi uma cara que me era conhecida e por momentos o meu coração parecia que ia saltar do peito, não podia estar ali, estava farto de discussões.
- Anda cá princesa - agarrei-a - vamos por este lado.
- Mas eu quero ir por ali Rú.
- Anda lá por aqui.
- Mas o que é que tu tens? Eu quero ir por ali.
- Vamos por aqui, vá anda!
- Rúben, eu quero ir por ali! Tás-te a passar? - Disse ela ao virar-se, e eu só pensava "não a vejas, não a vejas".