terça-feira, 9 de dezembro de 2014

12º Capítulo - "Tás-te a passar?"

Olá meus amores, desculpem o tempo que levo a postar, espero que continuem desse lado, e que gostem tanto como eu.

Beijinhos.

(Rúben)

- Amor, tu estás tão cansada,..tens a certeza? - Perguntei enquanto ela me despia a camisola.
- Nem te vou responder a isso! - Atirou-me para cima da cama e começou a despir o vestido que tinha no corpo.
- Anda cá. - Puxei-a para mim fazendo-a cair sobre o meu corpo.

Precisávamos mesmo de um momento só nosso, sentia que era tudo aquilo que necessitávamos para tirar todas as duvidas que pudessem existir. Toda aquela mulher me fascinava, aquele corpo, aqueles olhos, aquele sorriso, conseguiu levar-me a um extremo que nunca ninguém tinha conseguido.

- Amo-te. - Disse-lhe.
- Amo-te mais meu amor.

Abracei-a o mais forte que consegui, e comecei a sentir a respiração dela cada vez mais lenta e pesada. Tinha adormecido nos meus braços, literalmente. Acabei por adormecer também com as festinhas que lhe fui fazendo no cabelo.

(Mónica)

Assim que aterraram, a Fi mandou-me mensagem a dizer que tinham chegado bem. Sorri. Ela merecia tudo aquilo e muito mais.
Estava a preparar-me para dormir quando tocam à campainha.

- Rodrigo?!
- Desculpa incomodar mas eu queria só saber se o Rúben está por aqui.
- Ele não te disse?
- Não disse o quê?
- Ele está em Londres, um fim de semana com a Filipa.
- Sério? é que eu não tenho sitio onde ficar, tinha combinado ficar em casa dele porque vou mudar-me, esqueceu de certeza.

Fiquei com pena, o Rúben é sempre o mesmo distraído, e por muito que o Rodrigo me irritasse, resolvi ajudá-lo.

- Mas podes cá ficar. - Disse tão rápido que nem eu percebi bem o que disse.
- Mas você tem sua vida.
- E tu tens a tua, não precisamos de nos cruzar, ficas cá até o Rúben voltar, eles voltam domingo à noite.
- Posso ficar no quarto dela?
- Claro, não ias dormir no sofá não é?!
- Você era bem mais carinhosa no dia do almoço.. - Comentou entre dentes.
- É já somos dois!
- Só resmunga.
- Eu é que resmungo?! Desde que disse que sou tua fã, mudas-te completamente, pensei que vocês gostassem dessas coisas.
- E gostamos, se mudei tenho razão para isso.
- Pronto, nem quero saber. Eu ia dormir portanto, boa noite, põe-te à vontade, e o que não souberes onde está, procura.

Comecei a andar em direcção ao quarto quando ele me agarrou no braço e me fez virar para ele.

- Espera.

(Filipa)

Acordei a sentir-me dormente, tinha o meu braço por baixo do corpo do Rúben. Tentei tirar sem o acordar. Olhei para a janela, ainda era de noite, eram 5h00, decidi levantar-me e olhar lá para fora. Ele tinha pensado em tudo, tínhamos de certeza a melhor vista de Londres. Tirei uma foto que decidi partilhar nas redes sociais.



"Tenho o melhor namorado do mundo, meu Rú, que mimos tão bons, amo-te"


- Princesa, que estás a fazer? - Perguntou ele abrindo só um olho e com muito esforço. - Volta para aqui.
- Vou já mor, decidi ir só partilhar o lindo momento que me estás a proporcionar.
- A estas horas amor?
- Oh, acordei, estava com o braço debaixo de ti, não és levezinho.
- Que piada, anda cá. - Abraçou-me e encheu-me de beijos.



(Rúben)

Acordei primeiro que a princesa e tratei de nos fazerem chegar o pequeno almoço ao quarto. Peguei no telemóvel e vi que tinha chamadas do Rodrigo e do David. Eu tinha-me esquecido daqueles dois. O telemóvel dela tocou e apressei-me a atender quando vi que era a Mónica.

- 'Tou.
- Ai Rúben, acordas-te muito bem disposto, a minha menina?
- Está a dormir ainda, precisas mesmo de falar com ela?
- Não, aproveito e falo já contigo, devido ao facto de seres uma pessoa extremamente inteligente e adorares os teus amigos, tenho o Rodrigo aqui em casa. - Deu um quase grito.
- Eu lembrei-me disso agora, desculpa! Ele ficou aí? e o David não apareceu?
- Claro que ficou, não o ia deixar na rua. David? mas que David? Mas queres encher-me a casa de homens?!
- Esquece!
- Está esquecido. Divirtam-se.
- Obrigado.
- Beijinhos. - E desligou.

Entretanto sinto uns braços rodearem-me o corpo.

- Bom dia amor. - Disse ela com o maior sorriso do mundo e os maiores olhos de sono.
- Bom dia princesa. - Dei-lhe um beijo.
- Estás bem? Pareces preocupado mor.
- Oh, a Mónica ligou para ti e eu atendi porque estavas a dormir, esqueci-me que o Rodrigo se vai mudar e pediu-me para ficar lá em casa, resultado, foi bater à vossa porta e a Mónica deixou-o lá ficar. E depois é o David que apareceu nos ultimo treino e disse para ir ter a minha casa, e agora estamos aqui e esqueci-me dele também.
- Essas coisas acontecem, principalmente porque nos chateámos, não pensas-te no resto. Já que o Rodrigo está em boas mãos, manda uma mensagem ao David e explica a situação é mais fácil e tira essas trombas, vamos conhecer Londres! - Disse ela saltando da cama para o duche.
- Espera, quero ir contigo.
- Rúben, pára! - Gritava ela enquanto ria e eu a enchia de beijinhos.



- Vá, já chega Rú, temos de nos despachar, quero ver o mais possível sim?
- Pronto, anda lá. - Peguei nela ao colo e fui para o quarto.

Acabámos por nos vestir, como ela estava linda.





- Estás tão linda princesa.
- Com um homem como tu ao meu lado, tem de ser.
- Vamos ao Harrods, pode ser mor?
- A menina manda.
- Isto é tão lindo e tão grande.



(Filipa)

Lojas, a minha perdição, e nada melhor que um longo passeio pelo Harrods para me deixar feliz.

- Estás a gostar? - Perguntou ele.
- Estou a amar, obrigada meu amor, a sério. Aii, olha ali uma daquelas máquinas de tirar várias fotos, anda tirar amor.

(Rúben)

Ela parecia uma criança e nada me fazia mais feliz do que vê-la tão bem. Já merecíamos.

- Faz caretas . - Disse-me ela.




Fizemos as figuras mais parvas, mas ela saiu de lá radiante.

- Ficámos tão lindos príncipe. - Ao longe vi uma cara que me era conhecida e por momentos o meu coração parecia que ia saltar do peito, não podia estar ali, estava farto de discussões.
- Anda cá princesa - agarrei-a - vamos por este lado.
- Mas eu quero ir por ali Rú.
- Anda lá por aqui.
- Mas o que é que tu tens? Eu quero ir por ali.
- Vamos por aqui, vá anda!
- Rúben, eu quero ir por ali! Tás-te a passar? - Disse ela ao virar-se, e eu só pensava "não a vejas, não a vejas".

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

11º Capítulo - "Vamos fugir?"

Olá meninas, a inspiração anda um bocadinho fraca, mas aqui está mais um, espero que gostem, e comentem muito. Besitos.


(Filipa)

Eu sabia que tinha chegado ao meu limite, mas não queria perder o Rúben, não queria que tudo acabasse em tão pouco tempo.

- Podes vir comigo? - Perguntou o Rúben com a voz meio a tremer.
- Posso. - Suspirei.

(Rúben)

Apressei-me a ir buscar as minhas coisas.

- Ela hoje fica comigo. - Disse à Mónica, ao que ela acenou que sim com a cabeça.
- Mas tens a certeza?
- Tenho a certeza de vou lutar por ela. - Disse determinado.
- Cuida dela. - Sussurrou.
- Sempre.

Peguei-a pela mão e perguntei se ela se importava de hoje ficar comigo, ao que ela respondeu que não, acho que o pequeno sorriso dela naquele momento me fez sentir mais confortável, sabia que íamos ter uma longa noite.

- Eu só quero pedir-te desculpa por ... - Beijou-me. Estremeci. Apesar do beijo pensei que tinha acabado de perder tudo aquilo que mais quero.

(Filipa)

Não queria ouvir nada, pelo menos para já. Tínhamos de falar, é certo, mas eu precisava de me acalmar, e nada melhor que os beijos e os abraços do meu namorado.

- Deixa-me falar primeiro. - disse separando os nossos lábios - Provavelmente não demos o tempo suficiente de nos conhecermos bem e isso deu em inúmeras discussões sem sentido. Eu acredito, sempre acreditei que as pessoas podem apaixonar-se só de olhar, e sem dúvida que foi o meu caso, apesar de te conhecer por seres jogador, o teu olhar e o teu sorriso derretem-me por completo, mas o que aconteceu hoje pôs-me a pensar se isso chega, percebes?

- Chega! Claro que chega! Tu não tens a noção do quanto me custou ver a tua cara de desilusão. Eu posso dizer que te amo sem qualquer problema para mim, porque é a verdade, e não tenho prazer nenhum em ver-te mal, nunca a iria levar para junto de ti, nunca a iria levar fosse onde fosse. Eu estou contigo, quero-te a ti perto de mim e a fazer parte de toda a minha vida.

- Tens mesmo a certeza disso? 

- Não imaginas quantas foram as vezes que sonhei em encontrar uma mulher que me conseguisse fazer sorrir sem esforço, que se identificasse comigo, que achasse piada às minhas parvoíces, que quisesse ser a mãe dos meus filhos, que me amasse contra tudo e todos, e quando te conheci - suspirou - senti que tinha encontrado tudo isso em ti.

(Rúben)

Ela sorriu, mas não teve qualquer tipo de resposta.

- Vais acabar comigo? - Perguntei receoso.
- És tudo aquilo que eu sempre quis, vamos ver como resulta. - Sorriu ligeiramente.

Beijei-a intensamente, tinha saudades dela, precisava de estar com a Fi para conseguir ser eu mesmo. Ela faz-me tão, mas tão bem.



- Preciso tanto de ti princesa. - disse entre os beijos que lhe dava.
- E eu de ti, muito mesmo Rú.
- Vamos fugir? - Perguntei.
- Fugir? Como assim Rúben? Eu tenho a faculdade e o trabalho e tu os treinos..!
- É este fim de semana, não tens aulas nem trabalho e os treinos, houve jogo e uma grande vitória, dois dias de descanso. 
- Ah mas que bem menino Rúben, foi o menino de deu a grande vitória? - Entoei o mesmo som que ele.
- Pelo menos dois foram meus, quer dizer teus, graças a ti acho que voltei em grande, minha inspiração, se não fosse ela tu tinhas visto..
- Esquece isso, estávamos a falar de coisas importantes, para onde vamos?
- Londres, parece-te bem?
- Não escolhias um sitio mais quentinho?
- Não está assim tanto frio e ao menos dormimos bem agarradinhos, que me dizes? - Disse agarrando-a pela cintura.
- Digo que sim, óbvio que sim. - Beijei-o.


- Então vamos a casa fazer as malas pode ser? Partimos às 22h.
- Mas já tinhas tudo pronto?
- Claro! Não contava com este contratempo, mas perdoaste-me a tempo de irmos.

(Filipa)

Ele era completamente imprevisível e era sem dúvida o que mais gostava nele. Surpreende-me sempre, e aceitei sem pensar duas vezes, talvez era o tempo que precisávamos para organizar tudo nos nossos corações.

- Ai bf, tu vai-me dando notícias de como estão as coisas por aqui. - Tínhamos chegado a casa, e eu ía falando com a Mónica à medida que ela me ajudava a arrumar as coisas.
- Calma, são só dois dias princesa.
- Sim eu sei, mas mesmo assim, quero saber de tudo com o Rodrigo ouviste?


- Ai tu e o Rodrigo bf, mas sim se acontecer alguma coisa eu digo, vá vão-se lá embora. - Despedimo-nos com um abraço apertado. Daí a dois dias estávamos juntas de novo.

(Rúben)

Fomos para o aeroporto, estava na hora de embarcar.

- Obrigada por isto príncipe.
- Obrigada por me fazeres feliz princesa.

Chegámos ao hotel e fomos logo para o quarto, era de noite, e a minha princesa estava morta de sono, mas assim que chegámos ela abriu a porta e ficou estática.

- O que é isto Rúben?! - Assustei-me.
- O quê? - Mas não vi nada fora do normal - Que se passa mor? 
- Isto deve ter sido caríssimo e ainda por cima com um arranjinho da tua parte.


- Ah, assustaste-me! Pensei que não gostasses.
- Amo, amo amo, obrigada mil vezes meu amor.
- Faço tudo por nós, nunca vou desistir de ti, aconteça o que acontecer.

Acabámos por entrar e arrumar as coisas. A Fi estava a olhar-me atentamente.

- Estás a olhar assim para mim porquê amor?

Não me respondeu, apenas se chegou a mim e me beijou intensamente.



segunda-feira, 29 de setembro de 2014

10º Capítulo - "Camarotes? a sério? esse teu namorado esmerou-se"

Olá mis amores, outra fic em que sou uma vergonha nas publicações, tanto tempo sem postar, meu deus! Agora volto com mais um capítulo que espero que gostem sim? Espero as vossas opiniões, besitos.


(Rúben)

- Vá lá princesa, perdoa-me, o impulso foi mais forte do que eu.
- E se o impulso for sempre mais forte do que tu? Isto vai voltar a acontecer e eu não quero!
- Prometo que não, por favor mor, vamos esquecer isto e aproveitar pode ser?

Depois de um tempinho amuada, lá fizemos as pazes e fomos almoçar.

- Não gosto nada quando discutimos princesa, já são dois dias seguidos. - Disse.
- Pois a culpa não é minha Rú, tu é que te passas muito facilmente e então isto do Diogo, príncipe, tens de ter calma, tu és um homem lindo de morrer e ele não passa de um miúdo a querer atenção.
- Pois, eu posso ser um homem lindo de morrer mas tu és a miúda mais linda do mundo, tenho medo de te perder não é?!
- Só com essas atitudes é que me perdes, a sério, só tens de ignorar e mais, eu é que tenho de estar preocupada com tanta mulher a correr atrás de ti.
- Olha a piada, só para tua informação não há nenhuma atrás de mim.
- Nenhuma, nenhuma?
- Só tu, mas tu és quem eu quero, e mesmo que haja e que eu não saiba, só tenho olhos para ti.
- Ai que romântico que eu sou. - Disse eu. Ele levantou-se e agarrou-se a mim.

Acabámos por trocar beijos e brincadeiras enquanto comíamos, mas quando reparei nas horas, tinha de me apressar, era dia de jogo, tinha de ir para o estádio.

(Filipa)

- Olha princesa, queres que te deixe em casa? Trocas de roupa e vais com a Mónica pode ser? Eu arranjei no camarote para as duas.
- Ai Rú, não gosto nada dessas coisas, não conheço lá ninguém.
- Passas a conhecer meu amor, e para além disso vais com a tua melhor amiga, sempre se têm uma à outra.
- Sim tens razão, mas pronto logo se vê, então até logo meu príncipe, - dei-lhe um beijo -  e vê se marcas, já tenho saudades dos teus golos. - Saí do carro, mas não sem antes dar mais um beijo ao meu Rú.
- Agora que a inspiração é muita, vamos ver! - Disse ele com o maior sorriso do mundo.

Entrei em casa e a Mónica estava sentada no sofá com um pacote de batatas fritas na mão, a comer desalmadamente.

- Então que fome é essa? - Perguntei eu.
- Ai, assustaste-me! E não é fome. Hoje joga  Benfica, logo joga o Rodrigo, logo eu vou vê-lo, e ele é tão lindo e eu queria não gostar dele,.. Merda! Ele irrita-me!
- Ei calma lá, mas aconteceu mais alguma coisa?
- Não! Mas eu é que gostava de perceber que mal tem ele dar-se comigo, quer dizer, é todo sorrisinhos para toda a gente mas para mim é mais trombudo que um elefante, a sério Fi, não percebo os homens!
- Ele mexe contigo, tu sabes disso e por isso é que estás super irritada, mas isso tem solução sabes?
- Ai tem? Então diz-me que estou a desesperar.
- É levantares o cu desse sofá, largares essas batatas, arranjares-te e vires comigo ver o jogo, e no fim, falas com ele.
- Estás a gozar comigo certo? Eu não vou fazer isso Fi, esquece!
- Ai não vais? Então bem que te podes enfardar em batatas, ele não vem falar contigo de certeza. Queres que mude alguma coisa? então vá, mexe-te, sabes que ele é tímido!
- Ai que nervos, eu nem sei o que lhe vou dizer!
- Começas por perguntar porque é que ele mudou contigo quando soube que eras fã e pronto a conversa vai desenrolando princesa, mas por favor fala com ele, vocês precisam mesmo de falar.
- Pronto, eu faço isso mas se ele começar armado em parvo, vou-me embora!
- Combinado. Vá, queres ajuda com a roupa?
- É o de sempre Fi, e tu vai vestir a tua camisola do Rú, assim ele vai ficar todo contente quando vir.
- Ah, tens razão, eu não lhe disse que comprei com o nome e o número dele!
- Vocês são mesmo fofos sabes?
- Obrigada, eu gosto mesmo dele a sério, só espero que resulte.
- Vai resultar.

Quando nos arranjámos, fomos para o carro, com caminho traçado até à Luz.

- Camarotes? a sério? esse teu namorado esmerou-se.
- És mesmo parva, não fui eu que lhe pedi, ele arranjou logo dois, até nem queria muito, já viste bem, não conhecemos ninguém.
- Acho que é melhor apresentares-te. - Disse a Mónica.
- Tenho vergonha. - Disse começando a corar.
- Olá meninas, eu sou a Mónica e ela é a Filipa, a namorada do Rúben. - Disse ela com um sorriso.
- Olá! - disseram em uníssono.

(Mónica)

Comecei a perceber que todas as presentes comentavam coisas pelo menos sobre a Filipa e como não era em português ficou difícil de perceber, mas o que não me passou despercebido de todo foi a mulher que entrou, e que todas se apressaram a cumprimentar. Percebi tudo. Era a ex do Rúben. Não ía deixar a Filipa levar com aquilo.

- Ai, - disse pondo a mão na cabeça - tenho de ir à casa de banho, não me estou a sentir bem, vens comigo?
- Espera bf, o Rú está com a bola.
- Preciso mesmo princesa, por favor. - Quase que gritei.
- Pronto ok, vamos lá. - Disse ela, chegando-se a mim.

Fiz de tudo para que a Filipa não a visse, tendo em conta que saberia perfeitamente quem ela era.

- Estás a sentir-te melhor?
- Mais ou menos. - Inventei.
- Deixa-me só voltar lá para ir buscar as nossas coisas e vamos para casa, eu mando mensagem ao Rú.
- Está bem, mas não demores.

(Filipa)

Não percebi aquele mau estar repentino da Mónica, mas não lhe fazia bem estar ali, fui buscar as coisas para irmos embora quando oiço que foi golo do Benfica, golo do Rúben. Uma rapariga mais velha que eu certamente gritava de euforia, e quando lhe vi a cara não queria acreditar. Era ela, era a ex do Rúben, ele fez com que ela viesse? Por isso é que todas regiram estranhamente quando a Mónica disse quem eu era? Espreitei para o campo e olhei nos olhos do Rúben, ele estava a olhar para mim e quando a viu ficou estático a olhar para ela. Não aguentava mais estar ali, olhei para ele uma última vez e fui-me embora.

(Mónica)

A Filipa estava a demorar, estava a pensar ir ter com ela quando a porta da casa de banho se abre.

- Então? Tanto tempo?
- Tu sabias não sabias? Tu não estás mal disposta pois não?
- Desculpa, - pensei que era o mais certo na altura, mas agora, acho que ela está magoada até comigo - fiz de tudo para não perceberes, secalhar não foi a melhor das decisões mas princesa, só te queria proteger.



Toda ela começou a tremer, percebi que iria chorar a sério a qualquer momento e só me ocorreu levá-la dali. Ela estava sentada no chão e começaram a escorrer lágrimas, apressei-me a limpá-las, tínhamos mesmo de sair rapidamente. 
Entretanto, esperei. comecei a ouvir demasiado barulho, o jogo tinha acabado. Não queria que ela encontra-se ninguém dos jogadores ou até mesmo das mulheres deles, e obviamente não se poderia cruzar com o Rúben, tudo menos o Rúben, e quem é que esbarra contra nós? Precisamente o Rúben!

- Rúben, deixa-a estar, não digas nada.
- Não! eu tenho de dizer, Mónica vê se percebes que ela apareceu ali porque provavelmente os seguranças já a conhecem e deixaram, eu não a queria cá, por amor de deus.
- Tu viste-a?
- Marquei golo e olhei para a Fi, mas quando olhei para o lado estava lá ela, caiu-me tudo.
- Está bem Rúben, mas deixa-a estar, falam amanhã, não vês o estado dela?
- Importam-se de parar de falar como se eu não estivesse aqui?! - Gritou ela.

(Rúben)

Não sabia como reagir, e pelos vistos a Mónica também não. Nunca antes ela tinha gritado desta maneira. Fiquei seriamente com medo de a perder. Ainda há poucas horas tínhamos falado das muitas discussões em pouco tempo, e em vez de melhorar, só piora. Vi nos olhos dela a desilusão, não em mim, mas de certeza no pouco descanso que esta relação provavelmente terá.


quinta-feira, 3 de julho de 2014

9º Capítulo - "David?! Que estás aqui a fazer?!"

Olá leitoras lindas, peço muitas muitas desculpas, não apareço por aqui há séculos, mas foram os exames e pronto, estragou tudo, mas voltei e postei este e vou já trabalhar no próximo, prometo, espero que não desistam da fic, espero que gostem e que deixem os vossos comentário, besitos!


(Mónica)

Acabei tudo o que tinha para fazer e fui à cozinha beber água, estava demasiado silêncio, pensei que ela estivesse com o Rúben, mas quando me ia para sentar no sofá deparo-me com a Filipa deitada no chão, comecei a gritar pelo Rúben, ele pegou nela e levou-a para a cama, passámos-lhe com água pela cara e chamávamos por ela em tom já de desespero, sem ver qualquer reacção da parte dela.

- Achas melhor irmos com ela ao hospital? – Perguntou o Rúben, pegando nela ao colo, começando a andar em passo de corrida, o que a fez tossir.
- Pelos vistos não será preciso, ela está a acordar.

 O Rúben, ainda com ela no colo, começou a dar-lhe beijinhos e a perguntar se estava tudo bem.

- Precisas de alguma coisa princesa? O que é que se passou? Já estás bem?
- Estou meio tonta mas sim estou melhor e preciso que me pouses no chão amor.
- Mas o que se passou guapa?! Tiveste uma quebra de tensão ou assim?!
- É mais ou menos isso bf, acho que o não comer há algum tempo e os nervos do Diogo ter aparecido aqui deram cabo de mim, mas já estou melhor, a sério que sim. Estou é cansada, podíamos ir dormir.
- Claro que sim princesa, anda cá. - Lá acabou ele por lhe pegar ao colo mais uma vez.
- Amor não, deixa-me andar está bem?
- E se cais?!
- Vens atrás de mim pode ser assim?
- Vou a agarrar-te que é melhor.
- Tu realmente não existes!
- Boa noite bf!
- Para ti também guapa.

(Filipa)

Abri os olhos e vi que a cama estava muito vazia, o Rú já não estava lá, tinha ido para o treino, o ultimo treino, antes de um jogo tão importante quanto era um Benfica-Sporting, levantei-me, e caiu um papel no chão, apanhei-o e li.

“Bom dia minha dorminhoca. Espero que estejas melhor, estou cheio de saudades tuas. E agora não percas mais tempo e vai já tomar o pequeno-almoço e despacha-te, vamos almoçar fora. Amo-te demais.”

Não consegui não sorrir, ele foi sem dúvida das melhores coisas que me aconteceram. Olhei para o relógio, eram 11h, fui tomar um duche e antes de decidir o que vestir fui comer.

- Bom dia Fi, melhor?
- Bom dia! Sim bastante melhor. Já comeste?
- Sim, não tenho namorados que me façam o comer né..!
- Han?
- Vai à cozinha, está na bancada.

Croissant, sumo de laranja e morangos, este Rúben estraga-me em mimos! Peguei no papel que lá estava e derreti-me.

“Espero que gostes e que comas tudo que bem precisas. Como de certeza que ainda não estás preparada começa a pensar nisso que não tarda estou a raptar-te! Amo-te princesa.”

Como é que era possível ele ser assim tão … perfeito?!

Fui até ao quarto e levei a Mónica comigo. Depois de toda a roupa virada do avesso lá me decidi. Um vestido branco, simples. Desci e fui para a sala esperar pelo Rúben.

(Mónica)


O Rúben tinha-me pedido para estar de olho e ver se ela comia bem, tendo em conta a noite passada e como o treino devia estar no fim se é que não teria já acabado mandei mensagem sobre isso, mas quando a Filipa se tinha virado para ver ao espelho lembrei-me de lhe tirar uma foto e de mandar ao Rúben.




Para: Rúben
“Está ou não está uma brasa a tua miúda?! Ela adorou o pequeno-almoço e comeu tudo, não te preocupes. Beijinhos.”

Fui para a sala, e acabámos por nos entreter as duas na conversa.

(Rúben)

Estava a sair do treino quando olhei para o telemóvel e vi a mensagem da Mónica. A minha Fi estava linda, dei uma corrida até ao carro porque me queria despachar o mais rápido possível quando ouvi uma voz que não me era de todo desconhecida.

- David?! Que estás aqui a fazer?!
- Sério que você acabou com minha amiga?! Não esperava isso de você, logo você Rúben!
- Ok, ela foi a chorar para ti?! Mano, eu não ia estar com uma pessoa que me pressionava, que não gostava de mim, que gostava da minha fama e quando acabei com ela senti-me aliviado, não tens a noção da pressão que era estar com ela. Não te peço que compreendas, apenas que aceites.

Virei-me e segui a direcção do meu carro.

- Rúben?
- Não vou mudar de ideias puto.
- Ela era tão má assim?
- Pode crer que sim.
- E cê tá bem?
- Melhor que nunca, passa mais logo lá em casa, assim conheces a minha miúda, pode ser?
- Me espera lá então.

Segui até casa e raptei a minha princesa, chegámos a um restaurante meio escondido, quis ter a maior privacidade com ela, e decidimos passear um pouco antes de lá levá-la!

- Então a bebé comeu tudo?
- Comi sim amor, estava delicioso, se tiver coisas daquelas todas as manhãs não tarda tou uma bola.
- Cala-te! Estás linda princesa. Dá lá voltinha, dá!
- És mesmo parvo.

(Filipa)

- Ai tão queridinhos, até metem nojo.
- Diogo, vai-te embora e deixa-nos em paz por favor.
- Mas tu ainda pedes por favor a este gajo, tu és nojento, sai daqui. – Ao dizer isto o Rúben vira-se a ele com socos e mais socos.
- Rúben pára! Ele não merece que nenhum de nós se preocupe, pára por favor!
- Depois de tudo o que te fez isto é pouco!
- Rúben pára! – Gritei! Começando a pensar em ir embora.
- Pronto ok, já parei. Mas estás a ver, já se foi embora.
- É! E quem se vai embora sou eu também!
- Princesa,.. Desculpa!

Fiz mal, sabia que fiz mal, mas não consegui aguentar-me, puxei-a para mim e beija-a da forma mais intensa possível, eu estava cada vez mais rendido àquela rapariga e tinha de tentar com que ela me desculpasse por isto.






domingo, 4 de maio de 2014

8º Capítulo - "Beija-me só!"

Bem, aqui está um novo capítulo, que na minha opinião, não está nem pouco mais ou menos como queria, acho que está "secante", digamos assim, peço desculpas mas mesmo assim, deixem os vossos comentários, quem a cima de tudo tem de apreciar verdadeiramente são vocês. besitos <3



- Não! Não estou a pensar acabar nada, mas porra achas isto normal?!
- Fi, olha para mim! Pára de fazer perguntas ok?! Não, óbvio que não acho isto normal, mas ele está com medo, dá o desconto!
- Não consigo! Ele está com medo?! Então e eu?! Eu amo-o, amo-o mesmo mas temos de limpar isto, e com toda a confusão nem pregar olho conseguiria! achas mesmo que não queria dormir com ele?! A maneira como me falou,…nem sei o que pensar!
- Eu sei que ias até ao fim do mundo com ele, eu sei disso portanto pára de por tantas perguntas na tua cabeça, não tarda o outro atrasado chega com ele e vocês falam, mas por favor, percebe que ele tem medo, só te peço isso! – Disse a Mónica abraçando-me.
- O outro atrasado?! Minha parva, gostas pouco gostas! Mas vá, eu já estou mais calma, vou ver se começo com isto, porque não tarda temos os vizinhos à porta.
- Eu ajudo princesa! Gosto, como ídolo, tipo olhas para um homem e pensas “até que é jeitoso” e pronto, só isso, mas ele, faz de tudo para me despachar, sim porque contigo está ele sempre bem! – Resmungou começando a pegar nas esfregonas.
- Sim claro, e tu olhas-te para ele e acho que foi mais “até que é lindo de morrer e estou completamente babada”. Óbvio que se dá comigo, sou namorada do Rúben. – Disse a rir.
- Elá que ela já ri!
- Que animadas elas. – Comentou o Rafael, chegando com o Rúben e o Rodrigo.
- Já devias saber Rafa. – Ria a minha melhor amiga.

(Rúben)

- Podemos falar? – Perguntei a medo à minha namorada.
- Podemos, claro. – Respondeu ela ficando exactamente no mesmo sítio.
- E podes chegar sequer perto de mim? Por favor! – Pedi.
- Ah, sim. – Disse, chegando-se perto.
- A gente devia deixar eles sozinhos. – Acabou por dizer o Rodrigo.
- Sim, claro, eu vou começar a limpar a casa de banho. – Respondeu a Mónica, puxando o Rafael.
- Eu ajudo vocês. – Finalizou o Rodrigo.

Estava a vê-la com os olhos inchados, cabelo despenteado, pijama vestido, só me apetecia beijá-la, abraçá-la e não larga-la nunca mais. Como ela é linda, era só nisso que conseguia pensar! Como era possível ter duvidado seja do que for por parte dela?! Estava a sentir-me um grande idiota.

- Então e o que querias falar? – Ao ouvir a voz dela, estremeci.
- Quero pedir-te desculpa pelo que disse e da maneira como disse. Nunca deveria ter duvidado de ti, quer dizer, eu sei que dormirias comigo, mas também me estava a sentir mal, é horrível saber que és amada por mais alguém que não eu, percebes?! Apesar de que iria lutar sempre por ti, aliás é isso que vou fazer todos os dias, o resto da minha vida, mas custa, e disse o que não devia, a sério, desculpa mesmo princ,.. Fi! – Todas as palavras me tinham saído do coração, ela estava magoada, percebia-se.
- Estás desculpado, também te peço desculpas por não ter aceitado, mas preciso mesmo de limpar isto Rúben, e não estou minimamente interessada no Diogo, eu quero-te é a ti, devias ter certezas disso, aliás, ele não gosta de mim, tu sabes!
- Tu é que me estás a pedir desculpas?! Não sejas tonta! Sim, eu devia ter percebido isso mesmo, mas eu fico cá a ajudar, e sim, eu vou tentar ser mais seguro nestas coisas.
- Peço desculpas sim. Espero mesmo que consigas ser mais seguro, pelo menos posso tentar ajudar. E não, não vais ajudar nada porque tens treino hoje, e é importante porque vais ter jogo amanhã.

- Por favor princesa, deixa-me ajudar. – Disse puxando-a para mim, dando-lhe um beijo de seguida.


- Tu consegues quase tudo com beijos destes ó príncipe! – Disse ela a sorrir.
- Isso foi um sorriso de tás-perdoado-Rúben?
- Sim pode ser Rú, tu sabes que tás desculpado, mas agora falando muito a sério, vai para casa dormir, porque o treino de hoje é mesmo importante amor!
- Ui, até já há nomes fofos, eu prometo que a partir de agora este namoro vai ser perfeito, nunca mais vou ser tão burro.
- Cala-te ó feio!
- Beija-me só! – Desafiei.


- Deves estar a brincar comigo ó princesa!
- Eish que aparecemos no momento errado Rafa! – Comentou a Mónica.
- É parece que os meninos já estão bem. – Disse o Rodrigo.

(Filipa)

- É parece que sim, então e vocês também já se resolveram?! – Perguntei olhando para a minha melhor amiga.
- Tás a olhar para mim porquê?!
- Tu e o Rodrigo, dão-se assim tão mal porque,..
- Porque sua melhor amiga é muito teimosa, eu já disse pra ela que deveríamos todos dar-nos bem, mas ela, irra, não deixa!
- Desculpa?! Eu é que sou teimosa?! Quer dizer, no restaurante tás todo queridinho e depois só queres é desaparecer e eu aqui é não deixo o que quer que seja!
- Ei, tenham lá calma. – Acalmou-os o meu príncipe.
- Já vi coisas sérias começarem por menos,..enfim, meninas precisam de ajuda?! – Perguntou o Rafa.
- Olha tu tá masé calado!
- Ei, bf, acalma-te! Não Rafa, vão dormir que nós damos conta disto!
- Princesa,..posso pedir-te uma coisa? – Pediu o Rúben a medo.
- Sim, diz lá!
- Posso pelo menos dormir aqui em tua casa, nem que seja no chão, deixa-me pelo menos estar perto de ti. – Implorou.
- Pronto, tudo bem, mas dormes na minha cama. E tu Rafinha ficas cá?
- Não, eu vou indo, e levo o Rodrigo.
- Está bem, então até logo, beijinhos. – Mandei com a mão para os dois meninos.
- Até logo! – Disse a Mónica. – Bem, vou começar pela casa de banho meninos!
- Está bem, e tu vais deitar-te príncipe! – Disse eu virando-me para o Rúben.
- Pronto, eu vou mas dás-me um beijinho de boa noite? É que vou ter saudades tuas. – Fez beicinhos.
- Ai tão lamechas que eu ando.
- Gostas!
- Amo!


Despedi-me do Rúben, saí do quarto e comecei com as limpezas na sala, estava com sono, mas o trabalho tinha de ser feito. Comecei a sentir-me tonta, pensava que seria apenas por ter jantado pouco, mas senti-me a fraquejar, e só me lembro de ter tentado chamar pela Mónica.

segunda-feira, 28 de abril de 2014

7º Capítulo - "Tem calma bf, por favor, não comeces a chorar!"

Olá minhas lindas. Bem, hoje veio tarde porque tive numa guerra com o blog para conseguir postar, mas lá consegui e já aqui está, espero que gostem! ah e mais uma coisa, a partir daqui já não tenho grande coisa, mas vou tentar dar o máximo para continuar a ser regular, besitos <3


- Mas o que estás aqui a fazer?! – Disse tentando manter a calma.
- Ouve, eu tenho saudades tuas, das coisas que vivemos, daquilo que tínhamos, a sério, volta para mim, sei que não me esqueces-te, eu sei disso, aliás, eu tenho a certeza disso, o que vivemos foi verdadeiro, foi intenso, vá lá Fi, dá o benefício. – Pedia o Diogo agarrando-me no braço e aproximando-se de mim.

(Mónica)

Não podia acreditar no que via, quando vi o Diogo, gritei, corri para o quarto da Fi e apressei-me a ligar ao Rafael, nada mais me passou na cabeça. Até que fui rapidamente para a porta, até que chega ele, com o Rúben e com o Rodrigo. Fomos a correr na direcção da casa de banho, e quando o Rúben se preparava para entrar, agarrei-o.

- Deixa-os falar.

(Rúben)

- Larga-me Diogo! Porque raios inundas-te tu a casa?! Por amor de Deus! Tu és completamente louco!
- Sou louco por ti. Mas tu não percebes que o que sinto por ti é verdadeiro?!
- Não! Não percebo quando sei que me traíste, quando não vejo brilho nos olhos quando falas de mim. És nojento!
- Eu quero-te a ti, percebe isso!
- Tu não tens moral rigorosamente nenhuma para vir com este tipo de conversas. Achas o quê?! Que volto para ti?! Não! Não volto, nem hoje nem nunca mais, tu traíste-me, e lamento desiludir-te mas não estou minimamente interessada em ti, e secalhar nunca estive o suficiente. As pessoas certas fazem-nos esquecer as erradas, e eu tenho namorado, sou feliz com ele e não me interessas para nada, só quero que desapareças da minha vida.

Quando a ouvi falar de mim, de ser a pessoa certa, de a fazer feliz, de ser o namorado, senti um enorme orgulho por aquela miúda, era uma rapariga perfeita, que tinha encontrado por acaso, e que agora iria fazer de tudo para que fosse minha para sempre.

(Filipa)

- Tu não sentes o que estás a dizer. Eu sei que não! Anda cá. – Disse o Diogo, puxando-me para ele.

Senti alguém puxa-lo para trás, dando-lhe um forte murro. O cheiro, era o melhor do mundo, eu sabia que era ele, e quando me virei constatei exactamente isso. O meu Rúben apareceu. Estava a proteger-me. Percebi de imediato, quando vi o Rafael e o Rodrigo, que tinha sido a Mónica a chamá-lo. Quando o Rúben, juntamente com os outros dois, puseram o Diogo fora de casa, eu falava com a Mónica sobre o que acabara de acontecer.

- Ó bf, que estão eles os três aqui a fazer?
- Ai Fi, desculpa mas entrei em pânico, e nem liguei ao Rúben, foi logo ao Rafael, mas quando abri a porta apareceram-me os três. Olha lá como é que ele entrou aqui?!
- Ele tinha uma chave suplente, lembras-te?! Deve ter feito cópia ou uma coisa do género.
- Isso quer dizer que de vez em quando lembra-se e vem visitar-nos é?! – Disse ela ironicamente.
- Não parva, quer dizer que eu e tu estamos em mudanças!
- Outra casa?! A serio?! Não vamos arranjar nada mais barato que isto princesa!
- Talvez arranjemos, é uma questão de procurar. – Disse tentando convencê-la a ela e a mim.

Quando acabámos a conversa apareceram os três, e a Mónica virava a cara cada vez que sentia o Rodrigo de olhos postos nela.

- Eu liguei ao Rafael, vá até percebo a vinda do Rúben, mas o que estás tu aqui a fazer? – Perguntou não olhando o Rodrigo directamente.
- Sou amigo dela, também não dá isso?! Cê é difícil, caramba!
- Enfim. Fi, como fazemos agora?! – Perguntou virando-se para mim.
- Tu és tão teimosa, raios! – Disse-lhe baixo – Agora?! Então ficamos cá esta noite, e amanha procuramos sítio, não deve ser complicado.
- E ele?! Por amor de deus! – Respondeu-me no mesmo tom – E achas que conseguimos isso num dia?

(Rúben)

Tinha a Fi nos meus braços, queria mimá-la, e quando a ouvi falar com a Mónica sobre arranjar casa, pensei que elas poderiam passar a noite na minha. Não queria a minha princesa naquela casa, ele podia voltar.

- Vocês não ficam aqui, nem pensem! E se ele volta?!

- Óh amor, nós aguentamos, também a noite está quase perdida, é só mais hoje! – disse ela dando-me um beijo ternurento.


- Não! Filipa, ele pode fazer-vos mal! Não me perdoaria. Vem dormir a minha casa.
- Desculpa? Rúben, eu já te disse que para mim a noite está perdida, nem vou pregar olho, tenho de limpar isto, e sei defender-me, escusas de falar assim.
- Isso é tudo porque não queres dormir comigo?! Podias dizer logo!
- Rúben, mas tás bem ou quê?! O que é que se passa contigo?

Não estava a aguentar, tive a noção que ela era “disputada”, não era o único interessado nela e isso irritava-me. Ela nem comigo queria dormir, sentia um aperto no coração! Só pensei em sair dali.

(Filipa)

- Ele só pode estar a brincar! – Disse com lágrimas nos olhos, como é que em dois dias já tínhamos discutido desta maneira?!
- Tem calma bf, por favor, não começes a chorar! – Disse abraçando-me.


- Sim, cê tenha calma, vou ver dele! – Disse o Rodrigo, ao qual respondi com uma tentativa de sorriso.
- Ah pois tu! Vai lá vai! – Disse a minha melhor amiga ainda amuada com ele.
- Não sei o que deu ao Rúben, queres que fale com ele Fi? – Perguntou o Rafael, ajoelhando-se a mim, abraçando-me.
- Não, obrigada Rafa, a sério!
- Tu não estás a pensar acabar tudo à mínima discussão pois não? – Perguntou a Mónica em desespero perante as minhas lágrimas.